"Mantenha-se atrás da faixa amarela, não chegue muito perto, não acerque-se de meus traumas, não invada meus mistérios, não atrite-se com o meu passado, não tente entender nada: é proibido tocar no sagrado de cada um." (Martha Medeiros)


Cada pessoa tem o seu espaço sagrado, um cantinho onde somente o divino habita e conhece, muitos querem atravessá-lo no afã de conhecernos por inteiro, mas nunca conseguirão. Só revelo e deixo ser visto apenas o ângulo percebido, o todo nunca. Por isso nem tudo o que dizem a nosso respeito é de todo verdade. Muitos manipulam nossos atos e comportamentos fazendo-nos ser o que não somos. Aprendi a pensar assim, me coloco mais confortável comigo mesmo e não traio a minha verdade, se é que esta eu também a conheço por inteiro. Sou sempre um caçador de mim como diz o poeta.

A cada passo dado, sempre uma descoberta. Ainda não me conheço por inteiro e nunca conseguirei. Estou sempre em reconstrução. Não sei se seria válido colocar uma plaqueta com esta inscrição: "Paciência, obra em construção. Desculpe os transtornos".
As pessoas não entendem, querem sempre explicar e conceituar-nos com suas sentenças já prontas. Não sou santo, não trago em mim asas que me façam voar como anjo, serafim ou querubim. Sou homem. Sou humano, um ser em constante construção e reconstrução. Em mim sempre vejo acontecer caos e ordem, equilíbrio e desequilíbrio. Você pode pensar: Sim, mas pensar assim é se eximir de ser responsável pelo próprio crescimento, amadurecimento. Cale-se! É errado pensar à partir de tuas visões hipócritas e pequenas. Não estou me eximindo. Estou me reconhecedo e ao passo que me reconheço, descubro-me cada vez mais, então oferto a mim o direito inegável de ser um ser em processo, que nunca pretende parar, e assim, descubro alguém que mesmo em meio aos seus traumas, dores, vontade de desistir da vida, existe um outro em mim que é totalmente OUTRO, que me invade, me perpassa, que visita meus cantos escuros, a minha dor, a experimenta comigo, alguém que me preenche na solidão , ou às vezes não, nem sempre e este alguém me diz coragem, não esqueci a promessa que tenho para ti. Porque creio, nenhum oráculo deixa de acontecer. Quando Deus lança o seu "faça-se", é sempre definitivo. Eu trago a marca da promessa e sei que toda promessa passa pelo teste do tempo.
É a este Deus que me curvo e reverencio e somente ele é capaz de mudar, ninguém, só ele.
Jesus é o carpinteiro e eu sou apenas uma madeira que precisa ser talhada.

Luciano Medrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário