DEUS PERDOA SEMPRE. A SOCIEDADE NÃO.


É incrível como msg's podem falar muito ao nosso coração, e coração aqui, me reporto para pensamento, fazendo com que nos despertemos para verdade inequívocas. Às vezes as situações da vida nos transtornam e fazem embotar, opacizar e obscurecer a verdade de Deus que conhecemos. Muitas vezes me sinto assim também, parece que Deus fica inascessível, mas o evangelho nos conta que na crucificação o véu do templo se rasgou e essa simbologia é a resposta de que agora todos têm acesso ao Pai, lembra q no antigo testamento apenas os sacerdotes tinham permissão de entrar no Santo dos Santos, local da habitação do Altíssimo, pois é, em Jesus temos entrada, carta branca, ingresso ao trono onde o rei nos espera, onde podemos nos sentar à sua esquerda, digo esquerda porque à sua direita está Jesus como professamos no credo, mas à sua esquerda podemos descançar. Fiel é Deus até o fim. Não somos de desistir facilmente. Não somos de parar . Eu vou, vou sempre, não sei não ir. Mesmo em meio aos enfrentamentos e intimidações do real ponho-me em marcha porque sei dos meus objetivos e metas, Se preciso às vezes vou sozinho, não posso forçar ninguém a me acompanhar, cada um tem o direito de traçar seu próprio destino e viver suas experiências como consequência das suas escolhas. Pra mim isso é destino. Nada como algo já definido, onde o ser humano não tem como intervir e mudar o seu curso e sua história, se assim fosse ele seria mera manobra do acaso, um impotente. Mas não, me curvo e reverencio este Deus que nos deu o livre arbítrio tão negado por Nietzsche, mas que sem saber o chamava de vontade de potência que há meu ver é a mesma coisa. O Padre Pio nos ensina que as almas às quais Deus tem reservado grandes coisas, precisam primeiro ser provadas, para gahnarem tenacidade diante do que ele tem reservado para os seus. Realidades que fogem ao nosso pensamento e não somos capazes de vislumbrar. Mas Fiel é Deus, e a sua fidelidade estrapola os limites humanos. Deus perdoa sempre, a sociedade é que não.
Com carinho,
Luciano Medrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário