Alegra-te ó casa de Sião, pois teu esposo vem vindo!

Foram 68 anos ininterruptos de dedicação à implantação da incomensurável obra de misericórdia do Padre Pio em vida. Apóstolo da infinita misericórdia de Deus na terra, Padre Pio tornou-se um incansável propagador do alívio de Deus nos corações desesperados. Celebrando hoje a entrada dele à corte celeste, celebramos a vitória da carne em triunfo da alma numa visão beatífica de Deus sempre presente e em estado de espera.
Nunca vi milagres, sarça arder, demônios serem precipitados do céu, anjos sefáficos subindo e descendo, mas nada disso é tão importante quando encontramos alguém que nos sinaliza Deus. Assim é Padre Pio, mesmo há tanto tempo que nos afasta de sua morte até os dias atuais ele continua nos apresentando Deus e fazendo com que nos apaixonemos por Ele.
Como não se encantar com o Deus de Padre Pio? Justo, comedido. Sempre entregue em seus braços, aprendeu em tantas tormentas onde queriam negar sua mais profunda intimidade com Deus, sempre permaneceu fiel. Ele hoje nos ensina a sermos fiéis ao chamado de Deus, ao encontro profundo na "Tenda", onde somos, envoltos pela nuvem de fogo, onde somos, escondidos pela fumaça do holocausto. Lá só os olhos de Deus nos vêem, nos contempla e sana nosso desejo sempre constante de atenção e carinho de Pai.
Como não amar a Deus encontrando em Padre Pio os traços do divino. Seu corpo hoje apresentado ao mundo lá em San Giovanni Rotondo nos convida a admirar silenciosamente o homem que trouxe também em seu corpo a marca da sua missão.
Como não amar cada vez mais a Deus olhando padre Pio e conhecendo seus ensinamentos. O mundo hoje carece de referências. Em Padre Pio estas carências se esgotam pois ele aponta para o maior e único referencial: Jesus Crucificado e ressuscitado, aparecido primeiro a Madalena e a nenhuma outra ou a outro alguém. Mas a ela porque soube amar e esperar; onde na sua indigência social, em seus antigos rótulos sociais, em meio às escórias a ela inferidas e estereotipadas, achou graça aos olhos do Cristo para contemplar seu corpo em Glória.
A exposição do corpo de Padre Pio – um dos santos mais populares da Itália – é de uma das iniciativas mais importantes dos programas comemorativos do 40° aniversário de morte do santo capuchinho e o 90° da aparição dos estigmas permanentes, os quais surgiram em San Giovanni Rotondo em 20 de setembro de 1918.
Assim que os restos mortais dele foram exumados, entre os dias 2 e 3 de março, as autoridades e os peritos mostraram-se otimistas. “Ele tem ainda barba e sobrancelha; o queixo e os joelhos estão perfeitos e as unhas são tão cuidadas que ele parece ter ido à manicure”, comentaram, admirados. Fato devido a umidade do local, o que favoreceu parcialmente a sua conservação. Não existe milagre. Sempre recoleto ainda em morte na sua apresentação ao mundo mantém sua discrição fiel à regra franciscana. Ser humilde e fiel até o fim.
Nada de milagres, apenas um corpo marcado pelo sofrimento e cançado satisfatório em saber ter cumprido até o fim sua missão: Aliviar o sofrimento.
Visitando o site da Canção Nova (http://blog.cancaonova.com/roma/2008/04/29/1131/) encontrei esta afirmação que elucida um fato que para nós seus filhos espirituais é muito íntimo onde ao ser perguntado porque ao abrir o túmulo não exalou nenhum odor fétido, em resposta, o Dr. Nazareno Gabrieli que acompanhou a retirada e exposição do corpo respondeu ao cardeal Saraiva Martins:“Excelência, deve explicar o senhor, porque não estamos à altura”.

"Senhor, que concedestes ao teu servo padre Pio, contemplar a tua glória e ver face a face o teu rosto que ainda em vida era velado pelo véu do sacramento, vos peço a graça de crescer amando a tua presença em mim. Que eu me torne Senhor a exemplo do meu pai espiritual Padre Pio, um farol que indique teu filho e que comigo muitos caminhem sem parar num desejo enorme de a ti conhecer sempre e cada vez mais. Que o teu amor Senhor queime o meu coração, dando-me sempre vida nova, onde a cada manhã que renasce, tu espera por mim e o teu amor para comigo é sempre reavivado.
Sou ovelha perdida, nunca perfeito. Mas trago um coração totalmente enternecido de amor por ti e sei que este amor aumentou com o caminho que percorro, sendo conduzido a ti pelas mãos do Padre Pio.
Tu em mim e eu em Ti, que grande mistério! Assim sigo nesta loucura de perdas e ganhos, num jeito desconcertante de ser humano.
Peço a Ti por intermédio do meu Pai Espiritual Padre Pio a graça que se encontra em meu coração. E na certeza de que nunca estarei sozinho, sigo como teu companheiro tomado pelas mãos do meu paizinho Padre Pio que é como um farol a sinalizar a tua estrada, o teu caminho.
Jamais esquece de um filho teu". Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário