A solidão é a sala de espera para a nossa audiência com Deus. Solidão não como um estado de vazio, mas gestado por presença, ou melhor pela PRESENÇA. Onde no exílio do mundo, ainda que interconectado a ele, revivo o pensado, o sentido e o agido. Na verdade a audiência é encontro. Encontro revitalizador com o núcleo secretíssimo do meu ser que é a minha consciência, onde Deus habita e fala. Nesta sala não existe condenações, julgamentos, coisas e tal, mas o enfrentamento com a minha própria realidade manifesta pelo que pensei, pelo que senti diante do pensado e como agi frente ao pensado e sentido. Conheço uma canção que diz: "Eu posso até chorar, mas a alegria vem de manhã". É uma palavra bíblica cantada e por sinal o intérprete a canta muito bem; Tudo é aprendizado e superação. É o constante e eterno retorno, é devir, o vir a ser, o vir a fazer, que desemboca em :Pensar, sentir, fazer. Pena que pouco são os que compreendem. (Luciano Medrado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário