AVESSOS


O que importa na vida é sermos de fato fiéis a vocação que abraçamos e nela sermos felizes e fazermos os outros também. Sinto muita saudade de tudo o q fui, mas nada de nostalgia, só trago no peito lembranças do q foi bom, mas viver o avesso também pode ser válido. Os contrários são reveladores também. Existe um segredo em mim escondido no q eu às vezes não mostro. Existe em mim o desejo de ser completamente eu, revelar os avessos que existe em mim q também pode ser apreciado com a carícia e o cuidado de quem toma a vida alheia nas mãos para reverenciar e respeitar o desconhecido. Por que ser igual, por que trazer a marca de rebanho? O diferente também é belo, o não igual também é um jeito todo especial de não se deixar coagir. Se já sei o q sou e sabendo me aceitar, ofereço sempre para mim mesmo a oportunidade de a cada dia distanciar-me de mim, para o novo surgir. A vida humana é sempre novidade, nela não há espaço para a rotina. O ser humano é sempre um projeto infinito como diz o poeta.
Avesso é tudo aquilo q na vida não conseguimos mostrar confortavelmente para os outros, avesso é a realidade mais avessa do q sou, é o meu íntimo, o meu contrário q as vezes não é apreciado pelos outros justamente por ser avesso, contrário ao normal, ao convencional, ao estabelecido. O ser humano como projeto infinito é sempre inacabado, sempre é devir, um tornar-se sempre, nunca estamos prontos, somos sempre uma surpresa, o ser humano é sempre imprevisível. Aí está a realidade mais avêssa da nossa existência.
Há um bom tempo tenho pensado e refletido o sentido da palavra “avesso”. Ela tem permeado meus pensamentos e tem me levado a esmiuçar, dissecar o sentido de tal palavra. Acredito na força reveladora das palavras, que encarceram conceitos, mas também revelam algumas verdades, não todas, mas algumas acredito. Quando de fato me sentirei à vontade ao descobrir o mais avesso do q sou? Será quando não me importar com conceitos e representações vindas de fora, juízos temerários de terceiros q por não me compreender não me aceita, e por não me aceitar insiste em me encaixar nos seu esquemas, planos e conceitos? Por q o diferente ofende tanto os outros, por que o diferente inquieta tanto? Por que o diferente é rejeitado? Será q o q nós rejeitamos no outro é justamente o q já está inconscientemente rejeitado em mim?
O avesso é a minha verdade mais profunda que é tão pouco conhecida e revelada mais se aceita pode ser desvelada e compreendida e se possível amada.
O q vale na vida é termos a certeza de q nunca estamos só. O maior prazer é fazer a linda descoberta de que estamos sempre conosco quando nos ausentamos dos demais. E na solidão da descoberta de si o nosso avesso se torna mais íntimo, mais conhecido, desvelado e quando ficamos desnudos, despossuídos de tudo nos achamos no que de mais belo somos: humanos.É sempre bom saber q quando passamos na vida de alguém deixamos boas marcas no caminho.
A beleza de uma amizade é saber construí-la pacientemente deixando o outro se revelar na medida q também me mostro. Amizade é encontro e todo encontro é crescimento. Sinto falta de amigos porque poucos querem se encontrar. O desconhecido em mim revelado no outro ainda é muito assustador, e nem todos nós estamos prontos para acreditar nas nossas verdades reveladas no avesso do avesso do outro q me fazem ser um pouco mais eu mesmo. O importante da amizade não é “conhecer” o amigo; e sim saber o que há dentro dele e o q existe dentro de mim!... São histórias que se cruzam onde cada detalhe é importante na construção e desconstrução do que trazemos conosco. Ser amigo não é coisa de um dia. São gestos, palavras, sentimentos que se solidificam no tempo e não se apagam jamais. Obrigado pela tua amizade e por compreender o avesso q existe em mim.
Abraços,
Luciano Medrado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário