Esperar também é bom.


Do infinitivo latino sperare , esperar é uma palavra riquíssima em seu significado. Segundo o dicionário esperar é ter esperança, aguardar com desejo e uma certa confiança de que algo vá se realizar. Então nos colocamos numa atitude de acreditar, desejar e confiar. Todos atos determinados e determinantes segundo sua própria ação.

Uma outra possibilidade para compreendermos a palavra "esperar" é endendê-la enquanto uma ação inativa . Um colocar-se inerte porém não estéril, vazio de sentido. Esperar é também colocar-se em estado de espera no sentido de estar disponível, pronto, sempre pronto. É assim que eu quero entender toda a espera necessária que preciso ter em minha vida. Nem sempre é fácil. Nem sempre sei esperar. Cada esperar leva consigo as demoras necessárias para em maturidade suficiente aguardar o que espero e assim saber convenientemente aproveitar e saborear o momento da presentificação do que aguardava.

Desde muito cedinho ouvir dizer que " o que é meu 'ta' guardado". Esta é uma expressão que designa que não precisamos afoitamente ansiar desesperadamente por aquilo que já é nosso, como algo já pré-estabelecido e pré-deterninado. Não acredito em pré-destinação. Esta atitude é reduzir e empobrecer por demais as inúmeras possibilidades que se apresentam em nossa vida para construirmos o nosso caminho. Que é somente nosso. Diferente de todos os caminhos por mais que sejam parecidos enquanto situações semelhantes. Mas a forma como cada um experimenta uma situação que aparentemente se apresenta comum, cada um sabe a dor e a alegria que é experimentar. Por quê? Claro, muito claro, porque tudo é muito particular, cada vivência é única. Não acredito numa esperança futura, o que não significa que eu não planeje a minha vida. Mas prefiro tocar no que tenho hoje, o meu concreto, o chão da minha realidade. O meu futuro é o hoje realizado que me lança numa construção ainda agora do amanhã.

Quando aprendemos sabiamente esperar a gente se entrega nas mãos de Deus, procurando viver o momento presente, rezamos, confiamos e vamos vivendo o dia-a-dia.
A cotidianidade da espera nos ensina que nas horas de caos em nossas vidas, quando tudo aquilo com o que estamos acostumados nos é tirado, nos ensina a viver a precariedade e o provisório das nossas vidas. E assim a gente vá aproveitando cada minuto, dia, semana, pra buscar viver o Amor.

Marisa Monte canta em O amor não sabe esperar: "Ficar só é a própria escravidão". Se o amor humano não consegue ficar só porque não se completa e então se escraviza na própria dinâmica da espera silenciosa, o amor em Deus, a espera amorosa em Deus é sempre fecunda, laboriosa e principalmente esperança que não tarda em acontecer.
Não pensemos que o tempo em que vivemos o inesperado, ou aquilo que ainda "nâo é", é desperdiçado, perdido, não, não é!

Luciano Medrado.

(Graduando em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, Campus Universitário de Jequié / Bahia)

Um comentário:

  1. esperar é pra poucos... qdo me percebo muito ansiosa, atribulada, impotente, ñ me resta outra solução, senão esperar. e não esperar por nada, mas esperar em Deus! só nEle! pq, venhamos e convenhamos... esperar em fila é um saco!!! rsrsrsr

    bjão!

    ResponderExcluir